Preconceito

nova

Acordo todo dia engendrado em uma batalha contra meus preconceitos. Admito que tenho vários, mas admito igualmente que hoje tenho consciência e sapiência suficiente para mudar de opinião rapidamente, muitas vezes, sem ninguém perceber. Chamo isso de evoluir.

A palavra e o significado são claros. Todos nós antes temos uma opinião exteriorizada ou não. Todos temos uma birra contra algo que na verdade não conhecemos bem. Isso é preconceito. Admita, você tem.

Eu não gosto de falar sobre isso. Ao meu ver, falar sobre isso já é o método mais comum de criar o preconceito. Admito ter preconceitos que ao meu ver são inofensivos. Me dei bem em nascer num país com uma grande miscigenação racial, não me importo de forma alguma com a cor, a religião ou a quantidade de dinheiro que qualquer um tenha. De forma alguma, qualquer coisa diferente de caráter vai ser motivo suficiente para que eu não admire qualquer um.

Preconceito é a forma mais idiota que existe para ser um idiota. Ser preconceituoso é algo que só mostra o tamanho da sua falta de informação em afirmar uma coisa na qual você não tem informações concretas. Admiro as pessoas que sabem identificar um problema de longe. Admiro mais ainda as pessoas que identificam o problema e sabem a diferença entre resolver e culpar. Talvez a culpa de eu não gostar de jiló, seja a minha própria idiotice. Admito.

Comente

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *