Os meus medos corajosos

medo

 

Um jeito simples de enfrentar os meus passos sem chão. A medrosa iniciativa de antes do medo a ação.

Por várias vezes na vida, passamos por momentos de “falta”. Momentos sem luz que impedem a visão, um súbito vácuo racional, o mesmo que  monta o final ou o início de alguma coisa monumental ou não. A percebida e vívida solidão, os horrores de um simples “não”. A falta de respostas melhores que os silenciosos preocupados e incondicionados da minha ou da sua larga rebelião.

Você, eu e tudo. Freios da audaciosa vontade de mais. Juros cobrados a prazo por cada ideia nova ou coisa que se faz. Enfrentar? Não! Reagir a cada empreitada ovacionada pelos meus medos de tudo só me consome, onde anda a minha plena calmaria? Escondida nas minhas certezas, eu diria.

Todos os dias um leão. A reza branda da razão que toma conta das minhas maiores certezas abstratas. Certezas que me mantem fazendo tudo que faço quieto, silenciado pela falta de explicação se tudo vai dar certo ou não. Perder ou ganhar, morrer ou ficar, sorrir ou chorar. Nada pode ser tão forte quanto a coragem dos medos que temos, não dá para ser mais forte que o medo de ser só coragem. Juro, não dá!

Comente

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *