Empáticos

Marcados por grilhões sentimentais. Ilhados espalhados por montanhas de estimas e achismos, melosos e palpáveis. Sempre tão acessíveis! Não mais empáticos, não mais, não. Incapacitados de ver o outro com carinho de quem senti, sempre[…]

Continue a ler …

O que você faz com a raiva?

Eu ainda me pergunto como os pássaro voam dois mil quilômetros sem se perder, sem bater, sem temer. Ainda me pergunto como fazem quando não conseguem. Pássaros que perdem os ovos para as raposas e[…]

Continue a ler …

Autenticidade

Um crime sem precedentes aparentes contra a sociabilidade que só o igualitarismos mórbido das “mesmas coisas” pode nos dar. Ser alguém que você pode confiar, hoje gera muita desconfiança. Culpados por todo esse “pé atrás”,[…]

Continue a ler …

Motivos

Tão destemidos achamos que somos descansados em razões. Tão protegidos estamos conjurando as vocações dos acontecidos esquecidos em nós. Tão concentrados em sermos ilhados nos caminhos que traçamos para o sucesso, tão sós, tão finitos.[…]

Continue a ler …

Musica e as mulheres

Ao “cult” que espera um declamador texto filosofal, espere mais, mas leia esse também. Talvez ouçamos, nós homens, a música de forma diferente delas. Talvez elas transformem a música em algo diferente em nós. Não[…]

Continue a ler …

Apenas cafuné

Tão míticos quanto folclóricos. Dias atuais os que suportam os iniguais motivos nossos de sermos plenos. Grandes pequenos, bravos trêmulos. Reduzidos aos gemidos do ego. Silenciados pelos motivos cegos que temos, ingênuos. Nós! Querendo um[…]

Continue a ler …

Etiquetas

Eu corto, me incomodam! Tem uma no fundo do sapato, diz o tamanho em três países. Tem na capa do livro e no pacote de pão. Eu gosto das que vem estilizadas e de cores[…]

Continue a ler …

O melhor que podemos ser

  E você ai se achando a melhor pessoa do planeta. Eu acordo todo dia prometendo ser e fazer o melhor que puder. Sempre percebo em algum momento do mesmo dia, que não posso cumprir[…]

Continue a ler …

Atura ou surta

Incontáveis foram as vezes em que eu me solicitei abrandar. Por vários descontroles eu me controlei e depois descontrolei por frustração, terror, horror. Os mais altos baixos que já passamos. Os mais demorados rápidos que[…]

Continue a ler …

Divino

Não, eu não vou falar de Deus. Perto o bastante do perfeito equilíbrio. Durante o instante exato do que precisa e do que acontece. Diante ao exato momento de onde deveríamos para onde estaríamos se[…]

Continue a ler …

Uma árvore no meu quintal

  Meras referências infanto representativas, minha árvore no quintal. Por quantas coisas pequenas mudamos grandemente o que somos? O que nos aconteceu que nos surpreendeu a ponto de mudar tudo? Somos as frases redundantes de[…]

Continue a ler …

Um ensaio sobre a colher

  O quão simples é falar de coisa simples? Sugestivos motivos imensos os que nos incapacitam poetizar pequenas coisas. Grandes coisas, estas sempre bem entrelaçadas em histórias incrivelmente máximas. Humanos ostentadores de momentos sutilmente inventados.[…]

Continue a ler …

A minha vida chata

Ainda um enrosco executivo dos meus particulares atrativos. Sempre julgado como uma ilha. O pedaço de terra sem trilha e vasto para quem olha e não vê as luzes de “Las Vegas”. Chato e normal![…]

Continue a ler …

Bastidores

Por trás de toda grande cena, espetaculares seres comuns. Aparatados por camadas de perfeição, unidos e fortificados por toda incrível motivação, eternos atuadores. Comuns gladiando-se nos palcos da vida. Chorosos e invejosos humanos normais. Em[…]

Continue a ler …

Critérios

  Pré selecionando o jeito mais correto de selecionar o jeito certo. Criando os ideais mais aceitáveis as leais tentativas. Criteriosos somos. Sempre avaliando e arredondando valores. Desbravadores das dores que julgamos aceitáveis, exploradores das[…]

Continue a ler …

Carta aberta ao desespero

Se você estiver de acordo, eu quero trégua. É sempre uma correria sem fim, para no fim, justificar toda a correria! É sempre uma busca platônica por tudo que nem queremos de verdade. Por mim,[…]

Continue a ler …

Comentário do leitor

  Es que agora escrevo não só a meu grado. Es que para bom grado de todos que leem, eu escrevo sobre o que não agrada também. Para meu leitor crítico ao autor, eu leio[…]

Continue a ler …

A sombra do encanto

E então, fugir para qual canto? E do medo do excepcionalmente perfeito momento. Aquele instante talento de temer o que só de ver arrepia. Ao encantado, resta o fardo de viver a tremula insinuação da[…]

Continue a ler …

Reclame

  Se for por um bom motivo e for do fundo do coração, reclame! Diante ao grande montante de gente que só descontente fala algo de algo, sejamos responsáveis pelos aclamados motivos amáveis de falar[…]

Continue a ler …

Sobre a mesa

  Tenho uma mesa na entrada da casa, a toalha é branca e nela varias coisas necessariamente desnecessárias tomam todo o espaço. Minha mesa é o teclado de atalho de tudo que me coordena. Estranho?[…]

Continue a ler …