Descaso

O que está acontecendo? Quando foi que começamos a ter o direito de tratar pessoas como lixo? Quem foi que nos ensinou que belos, ricos, intelectuais tem direito a ser humanos melhores? Ignorando limites, fingindo[…]

Continue a ler …

Evolua

Tristes dias os que nos diminuem a tentativa chula do entendimento. Tristes tempos em que consumimos a necessidade de sermos acessíveis limitados pelos limitados procrastinantes. Tediante, irritante senso comum que me vence. Talvez deprimente, evidente[…]

Continue a ler …

Universais

Tão separados pelos dialetos e desafetos da vida. Tão coesos em juntar métodos comuns separatistas e pessimistas. Tão bons em coisas imprestáveis. Tão eficientes em ilustrar as diferenças. Em dias de preconceito, seleções de cupas[…]

Continue a ler …

Motivos

Tão destemidos achamos que somos descansados em razões. Tão protegidos estamos conjurando as vocações dos acontecidos esquecidos em nós. Tão concentrados em sermos ilhados nos caminhos que traçamos para o sucesso, tão sós, tão finitos.[…]

Continue a ler …

Um eterno soldado

Es que no campo apenas sobra ainda o único que sobre o manto da sorte ou do acaso esteve. Ainda sobra o único que busca ou buscou um ângulo diferente para apontar o fim. Um[…]

Continue a ler …

Sensuais

Eu sei, é subjetivo e controverso, mas nos redemos, eu sei! Necessários obscuros do desejo animal, esse do selvagem que habita o inigual senso comum. Moralistas defensores de aprendedores que sentirão o mesmo desejo que[…]

Continue a ler …

Novos velhos

Identificados em meio a multidão de normais espectadores dos ardores de sempre. Serenos revoltos adornados de uma sabedoria dolorosamente desenvolvida pelas camadas densas do tempo cotidiano. Os “novos velhos que não sabem a idade” e[…]

Continue a ler …

O que é um relacionamento?

Tão simples. Escolhe-se o brinquedo e embarca-se. Saudoso e corajoso, senta-se. Sufocados pelo medo, permitimos e partimos. Inicia-se o que achamos que sabemos acontecer. Devagar e cautelosos fingimos construir a perfeição, tão imaturos somos. Há[…]

Continue a ler …

Eu lamento

Por tudo que não tenhamos culpa, culpamos! Por mais sombria que seja a verdade que nos motiva, por mais silenciosa que seja toda essa nossa procrastinação, lamentamos. Lamentamos pela chuva que cai e não temos[…]

Continue a ler …

Minha biografia da escrita

  Um desajeito de primeiras palavras chanfradas e uma ma colocação sentimental. Uma revolta envolta de toda minha pouca indagação. Explicações de ações “miraboladas” nas emboladas baladas da vida. Como um manual, eu ainda me[…]

Continue a ler …

Você não é nada de mais

A verdade é que a sua é só uma vida comum, não importa o quão importante você pense que é. Talvez você esteja feliz com isso, sabendo que há um script que pode seguir e,[…]

Continue a ler …

O melhor que podemos ser

  E você ai se achando a melhor pessoa do planeta. Eu acordo todo dia prometendo ser e fazer o melhor que puder. Sempre percebo em algum momento do mesmo dia, que não posso cumprir[…]

Continue a ler …

Por que tantas preocupações?

  Por que tantas? Nunca antes pensantes tão árduos dos motivos e fardos de tanta labuta, tanta luta, tanto suor. Sempre a espreita de um erro, vigiamos o sucesso como quem entende o preço exato[…]

Continue a ler …

Uma árvore no meu quintal

  Meras referências infanto representativas, minha árvore no quintal. Por quantas coisas pequenas mudamos grandemente o que somos? O que nos aconteceu que nos surpreendeu a ponto de mudar tudo? Somos as frases redundantes de[…]

Continue a ler …

Um blogueiro hétero

Juro, eu dispenso as piadas! Antes de tudo um medo imenso de ser julgado errado. Sobre ficar exposto e a gosto, escrever me deixa ilhado. Num universo sentimentalmente feminino, perguntado se transexualizando eu estava, respondia[…]

Continue a ler …

Infantilidades adultas

  Em tempo de adultos por vocação, a infância se embolada e isola os anos de evolução. Ainda estamos aprendendo a usar a idiotice como explicação, e por isso, estamos ficando adultos tão cedo. Compreendedores[…]

Continue a ler …

A minha vida chata

Ainda um enrosco executivo dos meus particulares atrativos. Sempre julgado como uma ilha. O pedaço de terra sem trilha e vasto para quem olha e não vê as luzes de “Las Vegas”. Chato e normal![…]

Continue a ler …

Carta aberta ao desespero

Se você estiver de acordo, eu quero trégua. É sempre uma correria sem fim, para no fim, justificar toda a correria! É sempre uma busca platônica por tudo que nem queremos de verdade. Por mim,[…]

Continue a ler …

Comentário do leitor

  Es que agora escrevo não só a meu grado. Es que para bom grado de todos que leem, eu escrevo sobre o que não agrada também. Para meu leitor crítico ao autor, eu leio[…]

Continue a ler …

Inexorável

Para qual, o que não cede ou se abala diante de súplicas e rogos; inflexível, implacável. Inexorável! Dos sólidos motivos líquidos dos então intocáveis instantes instáveis do sempre. Das pessoas que somos ou queremos ser[…]

Continue a ler …

A sombra do encanto

E então, fugir para qual canto? E do medo do excepcionalmente perfeito momento. Aquele instante talento de temer o que só de ver arrepia. Ao encantado, resta o fardo de viver a tremula insinuação da[…]

Continue a ler …

Ignorante

Por não aceitar ou respeitar, por esbravejar ou amedrontar. Ignorante. Uma reação, nunca antes uma opção controlada. Uma reação muitas vezes desmiolada do instinto viril do despreparado. O abraço mais apertado do violado perdedor. A[…]

Continue a ler …