Aonde a vida é bela?

Aonde? Se for para lembrar, que seja no fundo do cheiro do cabelo dela. Se for para regalia, que seja no abraço quente da segurança de um beijo que só ela dá. Se for para[…]

Continue a ler …

Coragem para falar de amor

Não é nada rasgado, enfeitado ou poetizado como os textos de Camões, não! Falo de pontadas no fundo do ego, de soldas que seguram as dores, de rumores que formam historias de sucesso. Falo de[…]

Continue a ler …

Varais de tecido fino

Nós, todos sem exceção, esticados frágeis como plumas e tecidos de seda branca. Todos! Vivos em dilemas, esquemas montados em apertos financeiros, proezas oficializadas em postagens de redes sociais. Viagens aos infinitos sonhos de morar[…]

Continue a ler …

Sentimentalistas

O que é a saudade? O que é a falta que faz? O que podem ser os vazios cheios de sozinhos nossos? Mínimos, pequenitos mostrando que somos indestrutivelmente frágeis ao saber que somos só nós.[…]

Continue a ler …

Vítimas

Hoje assim, alvos sempre salvos por bem pouco! Dias de pessoas gigantescamente pequenas, pouco amadas por si mesmo e muito pouco toleradas em qualquer momento só como elas mesmas. Pessoas passando pelos problemas mais incríveis[…]

Continue a ler …

Dica de um homem sem coração

É proibido gostar! Não goste de ninguém, principalmente se esse alguém não souber o que é gostar. Pode parecer um aviso recalcado, mas não é isso. Vivemos tempo de pessoas destruídas, pessoas embaladas em camadas[…]

Continue a ler …

Reinventando

Vivendo dias de total empenho, total dedicação a ação de ser total. Estudiosos assombrados pela necessidade de superar. Estudos elaborados para ir além, para deixarmos de sermos reféns. Nós, simples humanos determinados a sermos incríveis. Simples[…]

Continue a ler …

Bens de um conflito

Tão dramáticos com a ideia de afrontar. Tão medrosos com os conflitos. Tão errôneos ao julgar os diálogos contraditórios. Brigar te aborrece, afasta, irrita e te apaixona. Mau do humano que contrariado se entrega. Contrários[…]

Continue a ler …

Um pedido de desculpas sem motivo

É simplesmente por que acredito que você lendo pode entender melhor. Eu nem erro mais com você, já passei desse nível de problematização. Eu agora, ao cometer um desacordo me despedaço. Sei que não deveria[…]

Continue a ler …

O que ouvimos em silêncio?

Desertos, mares, florestas e vastos campos de culpa. Que sons ouvimos quando a ostentação e a auto promoção se cala? Que cacofonia ritmamos nas obrigações que não cumprimos? Quais medos guardamos e quais medos sentimos?[…]

Continue a ler …

Descaso

O que está acontecendo? Quando foi que começamos a ter o direito de tratar pessoas como lixo? Quem foi que nos ensinou que belos, ricos, intelectuais tem direito a ser humanos melhores? Ignorando limites, fingindo[…]

Continue a ler …

Não servimos para namorar

E então adentramos sem celular na mão, esperamos encontrar pessoas incríveis, com papos mirabolantes, com relações reais, e mesmo assim, voltamos para casa sozinhos. Somos invisíveis num mundo de status onde as pessoas não vão[…]

Continue a ler …

A rebelia

É, eles querem nos intimidar! Querem que sejamos legais, educados, cordiais. Querem certezas dos nossos progressos, riquezas. Querem ler nossos nomes em artigos de jornais. Querem que possamos divertir a eles. Querem nos ter como[…]

Continue a ler …

Doentes sentimentais

Sempre em constante tratamento, com todos os argumentos para estar melhor agora quando perguntado, no fim doentes. Amargurados, sofridos, ilhados. Progredidos regredidos ardidos pelo desprezo do mundo. Mais racionais e ilegais. Mais solitários rodeados de[…]

Continue a ler …

Falhando miseravelmente

De formas colossais, banais, geniais ou incríveis. Falháveis! Destemidamente tentado ao sucesso, falhamos. Irrevogáveis em tentativas mirabolantes, falhamos. Coesos vistos poéticos e éticos, falhamos também. Propensos ao fracasso de sempre quando o sempre não nos[…]

Continue a ler …

Sim, você está mudando

É lento, gradual, doloroso, assustador, único e absurdamente gratificante. Viver é aturar a constante. Há quem não perceba que mudou, Há quem mude e não identifique os motivos. Somos a soma de nossos atrativos, e[…]

Continue a ler …

Universais

Tão separados pelos dialetos e desafetos da vida. Tão coesos em juntar métodos comuns separatistas e pessimistas. Tão bons em coisas imprestáveis. Tão eficientes em ilustrar as diferenças. Em dias de preconceito, seleções de cupas[…]

Continue a ler …

Sensuais

Eu sei, é subjetivo e controverso, mas nos redemos, eu sei! Necessários obscuros do desejo animal, esse do selvagem que habita o inigual senso comum. Moralistas defensores de aprendedores que sentirão o mesmo desejo que[…]

Continue a ler …

Novos velhos

Identificados em meio a multidão de normais espectadores dos ardores de sempre. Serenos revoltos adornados de uma sabedoria dolorosamente desenvolvida pelas camadas densas do tempo cotidiano. Os “novos velhos que não sabem a idade” e[…]

Continue a ler …