Um eterno soldado

Es que no campo apenas sobra ainda o único que sobre o manto da sorte ou do acaso esteve. Ainda sobra o único que busca ou buscou um ângulo diferente para apontar o fim. Um[…]

Continue a ler …

A sombra do encanto

E então, fugir para qual canto? E do medo do excepcionalmente perfeito momento. Aquele instante talento de temer o que só de ver arrepia. Ao encantado, resta o fardo de viver a tremula insinuação da[…]

Continue a ler …

Reclame

  Se for por um bom motivo e for do fundo do coração, reclame! Diante ao grande montante de gente que só descontente fala algo de algo, sejamos responsáveis pelos aclamados motivos amáveis de falar[…]

Continue a ler …

Quem eramos antes da internet?

  Você é capaz de dizer? Das mudanças súbitas da vida, dos balanços trêmulos do bom e ruim, das coisas fúteis e  banais, dos iguais dias de sempre, quem seriamos? Incapacitados não conectados. Individualizados não[…]

Continue a ler …

Sobre a mesa

  Tenho uma mesa na entrada da casa, a toalha é branca e nela varias coisas necessariamente desnecessárias tomam todo o espaço. Minha mesa é o teclado de atalho de tudo que me coordena. Estranho?[…]

Continue a ler …

Quantos nãos antes do sim?

  Rodeados pelas facetas diplomáticas que a vida nos supõem gostar sem razão. Sufocado pelos nãos que nos subornam a procrastinação. Vivemos em vão! Acolhidos pelos mais enfeitados motivos infanto recriados. Espantados pelos feitos que[…]

Continue a ler …

Carta a uma Ex

  Cara, que coisa complicada de fazer. Não tenho grandes coisas para falar, a culpa foi minha, eu fui um babaca e estraguei tudo. Me desculpa! Agente não se da conta do quão grande é[…]

Continue a ler …

Desculpa, a culpa é minha!

“Mede-se o homem pela culpa que ele assume.” Já dizia meu pai. É o medo, eu sei. Não é simples aceitar a vergonha ou o peso da culpa merecida, assistida. Por gerações, vivemos esperando que[…]

Continue a ler …