Apenas cafuné

Tão míticos quanto folclóricos. Dias atuais os que suportam os iniguais motivos nossos de sermos plenos. Grandes pequenos, bravos trêmulos. Reduzidos aos gemidos do ego. Silenciados pelos motivos cegos que temos, ingênuos. Nós! Querendo um[…]

Continue a ler …

Brutalmente pressionados

  Eu sei que você está cansado também! Todo o peso do mundo nas costas de um só, é assim que você acha que a humanidade divide o fardo? Será mesmo que só você está[…]

Continue a ler …

Etiquetas

Eu corto, me incomodam! Tem uma no fundo do sapato, diz o tamanho em três países. Tem na capa do livro e no pacote de pão. Eu gosto das que vem estilizadas e de cores[…]

Continue a ler …

Você não é nada de mais

A verdade é que a sua é só uma vida comum, não importa o quão importante você pense que é. Talvez você esteja feliz com isso, sabendo que há um script que pode seguir e,[…]

Continue a ler …

Pense, organize e expresse

Infinitos mares humanos revoltos e envoltos de todo medo que podem ter. Grandes talentos pensantes, ignorantes, amantes, quietantes e errantes. Difícil ser. O que você quer além de ser rico? O que você é além[…]

Continue a ler …

O melhor que podemos ser

  E você ai se achando a melhor pessoa do planeta. Eu acordo todo dia prometendo ser e fazer o melhor que puder. Sempre percebo em algum momento do mesmo dia, que não posso cumprir[…]

Continue a ler …

Por que tantas preocupações?

  Por que tantas? Nunca antes pensantes tão árduos dos motivos e fardos de tanta labuta, tanta luta, tanto suor. Sempre a espreita de um erro, vigiamos o sucesso como quem entende o preço exato[…]

Continue a ler …

Atura ou surta

Incontáveis foram as vezes em que eu me solicitei abrandar. Por vários descontroles eu me controlei e depois descontrolei por frustração, terror, horror. Os mais altos baixos que já passamos. Os mais demorados rápidos que[…]

Continue a ler …

Sobre depois de ser um herói

Não é mais um texto cinematográfico! Quantos heróis você conhece? Quantos, depois de serem heróis, você ainda venera? Debilitados pelos fardos chicoteantes de toda uma batalha cotidiana e cigana, vistos pelas idas e vindas da[…]

Continue a ler …

Divino

Não, eu não vou falar de Deus. Perto o bastante do perfeito equilíbrio. Durante o instante exato do que precisa e do que acontece. Diante ao exato momento de onde deveríamos para onde estaríamos se[…]

Continue a ler …

Uma árvore no meu quintal

  Meras referências infanto representativas, minha árvore no quintal. Por quantas coisas pequenas mudamos grandemente o que somos? O que nos aconteceu que nos surpreendeu a ponto de mudar tudo? Somos as frases redundantes de[…]

Continue a ler …

Um ensaio sobre a colher

  O quão simples é falar de coisa simples? Sugestivos motivos imensos os que nos incapacitam poetizar pequenas coisas. Grandes coisas, estas sempre bem entrelaçadas em histórias incrivelmente máximas. Humanos ostentadores de momentos sutilmente inventados.[…]

Continue a ler …

Infantilidades adultas

  Em tempo de adultos por vocação, a infância se embolada e isola os anos de evolução. Ainda estamos aprendendo a usar a idiotice como explicação, e por isso, estamos ficando adultos tão cedo. Compreendedores[…]

Continue a ler …

Bastidores

Por trás de toda grande cena, espetaculares seres comuns. Aparatados por camadas de perfeição, unidos e fortificados por toda incrível motivação, eternos atuadores. Comuns gladiando-se nos palcos da vida. Chorosos e invejosos humanos normais. Em[…]

Continue a ler …

Inexorável

Para qual, o que não cede ou se abala diante de súplicas e rogos; inflexível, implacável. Inexorável! Dos sólidos motivos líquidos dos então intocáveis instantes instáveis do sempre. Das pessoas que somos ou queremos ser[…]

Continue a ler …

A sombra do encanto

E então, fugir para qual canto? E do medo do excepcionalmente perfeito momento. Aquele instante talento de temer o que só de ver arrepia. Ao encantado, resta o fardo de viver a tremula insinuação da[…]

Continue a ler …

Ignorante

Por não aceitar ou respeitar, por esbravejar ou amedrontar. Ignorante. Uma reação, nunca antes uma opção controlada. Uma reação muitas vezes desmiolada do instinto viril do despreparado. O abraço mais apertado do violado perdedor. A[…]

Continue a ler …

Quem eramos antes da internet?

  Você é capaz de dizer? Das mudanças súbitas da vida, dos balanços trêmulos do bom e ruim, das coisas fúteis e  banais, dos iguais dias de sempre, quem seriamos? Incapacitados não conectados. Individualizados não[…]

Continue a ler …

Ideais que não temos mais

Um gosto forte pelo trabalho pesado. A não comoção pelo pouco a fazer. O não saber lidar com meros desafios. Ser um peão, um fazedor nato. Não ter exemplos burocráticos ou artificiais de trabalhadores. Ser[…]

Continue a ler …

A vida que você não vive

  Justamente essa que você deixou passar ontem. Sabemos agora que não retornará mais. Sabemos agora que outrora era possível, agora não, não mais. Você não teve tempo ou argumento suficiente para se convencer de[…]

Continue a ler …

Quantos nãos antes do sim?

  Rodeados pelas facetas diplomáticas que a vida nos supõem gostar sem razão. Sufocado pelos nãos que nos subornam a procrastinação. Vivemos em vão! Acolhidos pelos mais enfeitados motivos infanto recriados. Espantados pelos feitos que[…]

Continue a ler …