A coragem

Muitas vezes, aprisionados dentro de invólucros que não fazem jus ao guerreiro. Destemidos e munidos de uma soberania nata, guinchados e elevados por um ego indestrutível, não necessariamente corretos, intocáveis ou imortais. Meros mortais incríveis.

Dos mais simples exemplos que limitados pela física ou pela ideológica lógica que amarra a razão. Dos assombrados pela falta de resultados visíveis aos invisíveis críticos. Dos suados gotejantes e almejantes por um prato de comida. São só coragem.

No profundo medo de “não” qualquer coisa, flutuamos sobre verdadeiros corajosos poucos. Esses que suturam a honra humana que pouco ainda sustentam a pesada caminhada dessa nossa multidão.

Desejo eu, particularmente, identificar essa minha fúria corajosa. Nos resta debandar e enfrentar solitários a cada leão que dissolve nossa coragem. O que somos, somos. Não mais os mesmos íntegros, mas sempre guerreiros brutais de nós.

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *