Divino

Não, eu não vou falar de Deus.

Perto o bastante do perfeito equilíbrio. Durante o instante exato do que precisa e do que acontece. Diante ao exato momento de onde deveríamos para onde estaríamos se esta fosse uma escolha só nossa.

Vivemos em busca do perfeito como quem a pleno jeito único, dita que essa seria a única saída. Só ela, só essa? Friccionados, obrigados, algemados ao que formaram como perfeito.

Sim, orgiasticamente envolvidos nas linhas restas, pisos lisos, curvas sinuosamente envolventes, sempre da mesma forma, sempre do mesmo objetivo.

Livrai-nos do divino, livrai-nos do perpétuo modo “perfect”, livrai-nos do cansativo jeito ofensivo de ser o querem que sejamos, livrai-nos.

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *