Ou você é de fatos ou é de sorte

Sempre divididos entre as questões mais enigmáticas, os problemas mais asmáticos, hipotéticos ou patéticos!

A quem conte de forma diferente, mas confundir fatos merecidos com sorte ocasional, é um erro precoce. A quem faça dos iguais os diferentes, mas contundente, jamais!

Sempre esperando um milagre, sempre alfinetando a verdade com a exigência explicatícia perfeita, eu quero saber tudo! Talvez não, quem sabe, apenas esperar que o universo controverso me de um presente desmerecido para que eu chame de sorte toda essa rebelia.

E segue o baile! Já dizia a profecia dos poetas que escrevem toda nossa nostalgia. Que sigamos essa festa dando de sobra as arestas da verdade como atos de igualdade entre eu a empatia de sonhar com a vaidade de viver da mais pura incongruência. Nos falta decência de ser antes de tudo! E como, e muito!

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *