Precisada

Ainda sonolenta pelo peso das noites densas do meio da semana, abre os olhos grudados pelos pingos da fada da noite. Em primeiro, ajeitando a cama e o cabelo, prepara-se para o clique do dia. Era “Bom dia” a legenda. Levantada e preocupada com tudo que tem que pagar além da depilação a fazer, preocupava-se também em lavar ou não os cabelos. Sempre atenta, repassa o dia como quem o vê futuro e imagina se alguém notaria o agrupado cabelo oleoso.

Carregado, limpo e impecável na rica capa comprada no vendedor de rua, ostenta ainda o celular com doze prestações a pagar. Compactada com todos os filtros dispenso em mil fotos do rosto, parte mais bem favorecida pela maquiagem, ela se alegra no então universo que criou online. Fotograva um instante de sorriso num pulo que favorece os seios ou qualquer coisa que esconda. Especialista de poses perfeitas, enfeita quem é até que capture quem quer ser.

Tão normal quanto qualquer uma, cola as unhas com algodão ou fraudulenta a antiga gerra contra a prisão de ventre. Tão normal quando qualquer uma, lava louças e em festa de criança se controla para não comer de tudo. Precisadas de um comportamento jurado em fotos, eterniza a patética tentativa de ser alguém que monta como ídolo de si. Tão precisas, tão precisadas nossas deusas!

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *