Predefinidos

Chegados prontos, julgados montados, eleitos o que querem que sejamos.

Por gênero, cor, sexualidade. Por motivos, razões ou arbitrariedades. Irregulares “pré qualquer coisa”.

Vivemos e morremos imagens, sangramos e suamos exemplos, existimos estimados na opinião de ações deliberadas efêmeras. Sempre observados pelos melhores em tudo, erramos repetidamente, irrevogavelmente importantes para nada. Só definimos as certezas que temos e do que queremos ser. Para o mundo, sempre “pré qualquer coisa”.

Ainda que sejamos humanos, seremos até o fim, “pré qualquer coisa” que não temos culpa. Nunca o que somos, mas sempre o que apontam!

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *