Sim, você está mudando

É lento, gradual, doloroso, assustador, único e absurdamente gratificante. Viver é aturar a constante.

Há quem não perceba que mudou, Há quem mude e não identifique os motivos. Somos a soma de nossos atrativos, e como comuns, temos que mudar para fazer notar. Das dores que penitenciam a carne, os medos que sufocam o ego, rezamos as preces a todos que podem notar. Mudar é um dom!

Julgados diferentes iguais parentes de um ontem que não somos mais. Há quem aceite de forma irreverente, Há quem lute de forma evidente contra o aparente. Tão envolventes ao que éramos! Tão!

Não nos cabe agora manter o diálogo que nos iguala. Não temos mais a vontade de sermos reflexos. Nossos complexos agora são anexos de tudo que fomos querendo ser o que um dia seremos. Mudamos e desmudamos transformando tudo que somos em tudo que queremos. Tão previsíveis, Tão visíveis e notáveis os detalhes do que somos agora. Tão notadas as mudanças dês do inicio do texto. Tão!

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *