Toda a minha atenção

Pois não? Em que posso lhe ajudar?

Sim, existiu um tempo em que eu me interessei por pessoas. Eram tempos pesados e frouxos. Despedidos por assombrosa ou teimosa vontade de entender, eu desentendia. Vontade vazia minha.

Ao passar eu deixava. Atenção total ou a visão inigual de quem acreditava que era possível doar o tempo, ouvir o relento ou só estar atento. Não, não era!

Perdi o interesse por muito. Talvez, pode ser o momento da vez. Quem sabe!? Não espere de mim muita coisa. Venho flertando com o presente, sub existindo no som alto, no calor do pico mais alto ou da altura do meu salto vazio. Já fui de dar atenção, hoje eu dou o mais importante para mim, meu tempo. Em que posso ajudar?

Related Posts

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *